O processo de sutilização pelo yoga e os gunas

09/12/2022

Refinamento pelo yoga e os 3 gunas

Se você pratica há algum tempo, deve ter percebido que mesmo depois do horário da aula, algo trazido por aquele momento continua reverberando em você mesmo fora do tapetinho. A prática de yoga afeta profundamente a estrutura humana e isso vai além da forma física.

Este corpo físico aparenta ser pesado e denso, mas às vezes, depois de uma prática você pode se sentir leve. Isto é porque, de fato, o yoga está depurando as estruturas físicas. Há um sutilização que vai ocorrendo conforme se pratica. Um exemplo muito claro disso, é que quando começamos a praticar com certa regularidade, nosso organismo começa a responder de maneira diferente a certos hábitos. Nossa resposta a algum tipo de alimento pode mudar, por exemplo. Algo que fazíamos e não víamos problema, começa a gerar desconforto.

O que está acontecendo não que ficamos mais fracos e vulneráveis, ficamos mais sensíveis. Em uma condição de uma maior densidade física e energética, não temos sensibilidade para perceber com profundidade os efeitos negativos dos hábitos. Podemos comer muito, beber muito, dormir muito, e perceber apenas a mesma letargia, irritação de sempre. Nesta densidade, não percebemos a origem, a densidade trás um certo adormecimento, no qual não estamos conscientes do impacto e da consequência dos nossos hábitos e atitudes.

Isso nos leva ao que eu gostaria de compartilhar com vocês hoje, no yoga há um nome que explica muito bem este estado de adormecimento e densidade: tamas. Tamas é um dos 3 estados da matéria, tamas é o estado de densidade.

Os 3 estados da matéria

Segundo o conhecimento do samkhya, que explica os processos do yoga, existem 3 qualidades da matéria, destas qualidades do mundo material, tudo é criado, as formas, emoções, corpos, tudo que existe deriva da combinação destas três forças da natureza: tamas, rajas e satwa.

Tamas é a força que mantém nosso corpo unido, é o que mantém a inércia, e permite que a forma se "solidifique" por exemplo. É relacionada a Deusa Kali e a Terra.

Rajas é a força que se expressa em dinamismo, movimento, desejo, e que permite que a matéria se transforme, mude forma, se expanda. É relacinado a Deusa Lakhsimi e ao Sol.

Satwa é o equilíbrio, o que quebra o ciclo de inércia e movimento, que torna possível a transcendência, o transcender da forma, da ignorância e do desejo. É a qualidade da matéria que trás transparência, paz, calma, clareza, neutralidade, contemplação, relaxamento no Ser. É relacionado a Deus Saraswati e a Lua.

A função de cada um

Tamas é importante porquê sem tamas, não haveria integração, não haveria aterramento daquilo que aprendemos. Quando aprendemos algo novo isso pode vir como um inshgt, e depois virar uma conexão neural. Tamas é o que permite que os aprendizados se tornem hábitos. É a força da Terra, do aterramento.

Rajas é importante porque quando um hábito se torna um problema, precisamos nos colocar em movimento para redescobrir a nós mesmos. Sem rajas, nada muda, tudo permanece na inércia. Imagine ser igual para sempre, pensar da mesma maneira. É a ignorância. Então rajas é movimento, rever, apaixonar-se pela vida, ter vontade, querer expandir. Agora, quando o movimento é dentro da confusão, é uma confusão sem fim, um movimento desordenado. O estado de ansiedade por exemplo é um estado de rajas em ação.

Então essas forças dentro de nós, estão presentes, constituem nossa forma de Ser, nosso corpo, nossa mente, nossas emoções. Quando vamos dormir, é Tamas agindo, quando ficamos com raiva é rajas agindo, quando meditamos e queremos estar ali para sempre, é satwa. Essas forças tem vontade própria, elas não nos pertencem, mas são, a causa dos nossos hábitos e atitudes.

Se dormimos e comemos demais, estamos com preguiça de pensar e de agir, tamas está dominando, se estamos muito agitados e não conseguimos parar para encontrar clareza, rajas está dominando. Não podemos controlar essas forças quando elas estão sendo cultivadas e estão em ação, mas podemos cultivar essas forças pelas nossas ações e visualizar nossos hábitos mudando, no futuro. Fazendo isso, estaremos mudando a causa, a raiz dos nossos hábitos. Estes três gunas comandam nossos hábitos.

O equilíbrio de satwa

Quando começamos a praticar yoga estamos dando a estas forças um comando, um estímulo em direção ao equilíbrio, satwa. O estado tamásico e rajásico é muito comum e natural, é o estado de inércia, sono e o estado de desejo, movimento. Mas vivenciar satwa não é comum e conhecido para nós, e no estado satwico é onde as nuvens se dissipam e podemos contemplar a presença do nosso Ser. Sem satwa queridos, nós queremos dormir, comer, fazer sexo, alcançar novas coisas! Não existe anseio pela Luz, pelo sutil, pela presença e extase do nosso Ser. Não há problema nisso, mas se em algum ponto recebemos o chamado do nosso Ser, é o toque de satwa em nós que vai fortalecer nossa conexão.

Satwa é cultivado pelo estudo, pela meditação pela contemplação e presença. Pelo canto, pela beleza. Conforme vamos nos familiarizando com este estado da matéria, vamos querer ter essas coisas em nossa vida. Essa familiaridade vai vindo aos poucos, com a acréscimo de hábitos que trazem o elemento satwa, como por exemplo, a prática de yoga.

As coisas vem em nossa vida conforme ressoamos com elas. Então vai ocorrendo um processo de sutilização pelo yoga, que vai no levando a familiaridade com o estado satwico. Começamos a cultivar e celebrar momentos simples de conexão, contemplação, sutileza. Isso deve ser natural, afinal, ninguém está te avaliando para que você chegue em algum lugar. Satwa é um perfume, que ansiamos conforme estamos encantados com a beleza da presença do nosso Ser. O estado de rajas e tamas também, fazem parte da vida e da nossa rotina e devem ser celebramos, e satwa vai aparecendo aos poucos e nos fazendo rever nossos hábitos, pois nossos hábitos são ativadores diretos de tamas e rajas.

Como nossos hábitos cultivam os 3 gunas:

Alimentos industrializados, pão branco, carnes e latcínios, dormir demais, bagunça e sujeira, são alguns exemplos de coisas que agravam o estado tamásico.

Café, assistir muita tv, ver muita informação ao mesmo tempo sem foco, necessidade de controlar, desejar muitas coisas, pimenta, alho e cebola, estimulantes, são alguns exemplos de coisas em excesso agravam rajas.

Meditação, estudo focado, contato com a natureza, frutas verduras, gengibre, yoga e meditação, contemplação, músicas harmonicas, são exemplos de coisas que trazem satwa.

Prab Saache Kaur - Viver-em-yoga.com